HPV

HPV

Vírus do Papiloma Humano

Nosso foco neste site é informar sobre as possibilidades de terapia para quem já contraiu o vírus e apresenta manifestações recorrentes de verrugas genitais ou câncer.
Apenas como breve informação geral estima-se que existam mais de 200 tipos, 14 tipos são os mais importantes, pois podem causar lesões precursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, garganta ou ânus. 70% dessas lesões são causadas pelos HPVs tipo 16 e 18, enquanto o HPV 31, 33, 45 e outros tipos menos comuns são encontradas nos casos restantes. Os HPVs tipo 6 e 11 também são em mulheres e causam apenas verrugas genitais.
Como toda a patologia temos os fatores de risco que neste caso são: Sexo sem proteção – a utilização de proteção do tipo “camisinha” feminina ou masculina minimiza pouco o fato de contrair o vírus. Vida sexual precoce – é obvio que quanto mais cedo alguém iniciar a vida sexual, mais parceiros terá e maior a possibilidade estatística de encontrar um parceiro que tenha o vírus.
Múltiplos parceiros – estatisticamente mais parceiros, maior a possibilidade de encontrar um parceiro contaminado pelo vírus. Não fazer exames de rotina – os exames de rotina principalmente para as mulheres são importantes, pois a cavidade vaginal impede uma visualização das verrugas e lesões. O aparecimento de qualquer protuberância na região genital ou perianal deve ser levada a sério e na dúvida consultar um médico ginecologista, urulogista ou proctologista.
Imunodepressão – este fator pode ser o mais importante de todos pois, se considerarmos que o vírus existe em uma proporção estatisticamente alta das populações o fator principal para contraí-lo é de que o sistema imunológico do parceiro receptivo esteja comprometido (entenda o comprometido como: as células de defesa não estão realizando as funções de defesa). A imunoterapia de estimulação é um ótimo recurso mesmo sendo concomitante aos tratamentos tradicionais, pois o ideal é que o sistema imunológico defenda se sem a necessidade de outros medicamentos.
Podemos direcionar o uso de dois tipos de imunoterapia uma para ser utilizada concomitante aos medicamentos padrões ou procedimento, tal como uma mistura de BETA-1-3_GLUCANA e DIMICOLATO DE TREALOSE em doses semanais de 0,5mL por via subcutânea profunda.
A outra imunoterapia é profilática, neste caso utilizamos três imunoestimuladores em conjunto: BETA-1-3-GLUCANA + DIMICOLATO DE TREALOSE + LISADO DE PROPINIUMBACTERIUM PARVUM aplicado de forma subcutânea profunda em doses semanais e posteriormente em doses mensais por tempo indeterminado, a dose padrão é de 0,5mL , no entanto, pode ser utilizada uma dose de até um 1,0mL.

Próxima Página


Dúvidas, Orçamentos, Sugestões, Críticas Ficaremos Felizes em poder ajudar!


Av. Rio Branco 277, Sala 1108 - Centro, Rio de Janeiro - CEP: 20040-009

CNPJ: 05.382.206/0001-47

© Todos os direitos reservados - 2018