Doença de Crohn

Imunoterapia para Doença de Crohn

Uso a imunoterapia para tratar qualquer patologia é possível, qualquer patologia tem uma fundamentação básica, então precisamos retirar todos os sintomas que possam confundir e ir direto ao ponto.

Vamos começar dissecando a doença de crohn para usar a imunoterapia. Por algum motivo seja o uso de medicamento ou o consumo de alimentos combinados com traços de metais pesados ou agrotóxicos são os fatores mais importantes.

Claro que podem ter inúmeras outras possibilidades, o que importa é que estes fatores causaram um desequilíbrio na flora intestinal na quantidade maior ou menor de alguns grupos ou na ausência ou presença de microrganismo diferentes. A questão alimentar é importante, pois quem processa os alimentos são estes microrganismos, e o mais provável é que o processamento está gerando substâncias nesta região (intestinal) as quais são identificadas como alérgenos e por isso é reiniciado um processo inflamatório. Isso ocorre tantas vezes que os mecanismos imunológicos de controle falham e uma inflamação crônica é estabelecida, mesmo sem a presença do alimento desencadeador.

Então, o que precisa ser feito, primeiro precisamos recuperar o controle para o sistema imunológico, o medicamento com melhores resultados é o Fator de Transferência Injetável (são as tuftisinas). Podemos iniciar com uma dose de ataque com intervalos de 3 dias por 2 semanas e passar para aplicações de 7/7 dias até 1 mês (4 doses).

Concomitante ao uso deste medicamento pode ser utilizado o Fator de Transferência sublingual com 6 gotas diárias até terminar o frasco e também fazer com que o paciente ingira os alimentos mais conhecidos como causadores, por exemplo soja, trigo, leite, ovos, carne de porco, estes alimentos devem ser ingeridos em pequenas quantidades e bem cozidos (os fatores de transferência vão abrir uma “janela imunológica” ou seja criarão uma nova oportunidades destas substâncias serem apresentadas aos sistema imunológico e passarem a ser toleradas.

Os sucos chamados Detox podem ser interessantes, por conterem uma grande variedade de bactérias. Pode ser o que a pessoa achar melhor e mais agradável ao paladar, desde que sejam alimentos cruz batidos no liquidificador apenas com água (nunca usar leite). Não importa o volume ou a quantidade de vezes que beba e sim que seja diário por pelo menos 2 semanas.

Seguindo todos estes passos espera-se uma melhora clínica ou cura funcional em poucas semanas.

Observação: O paciente não poderá utilizar antibióticos ou corticoide ou anti-inflamatórios, caso tenha que usar, interrompa o tratamento e reinicie até que o uso possa ser suspenso.

Este mesmo procedimento pode ser aplicado para diarreia crônica. Apenas leve em consideração a possibilidade infecção e reinfecção por protozoário e a ingestão de altas quantidades de gorduras de qualquer tipo.

Para se obter um controle que não seja sintomático, a dosagem de fatores inflamatórios no início no meio e ao final do tratamento. Os resultados podem indicar que um manejo deva ser realizado. Mas espera-se uma redução significativa dos fatores inflamatórios.




Dúvidas, Orçamentos, Sugestões, Críticas Ficaremos Felizes em poder ajudar!


Av. Rio Branco 277, Sala 1108 - Centro, Rio de Janeiro - CEP: 20040-009

CNPJ: 05.382.206/0001-47

© Todos os direitos reservados - 2018